Saúde e DDHH
04/04/2017
EM ATO CONTRA VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS DO RIO, CÉSAR BENJAMIM RECEBE SEPE EM AUDIÊNCIA


Nessa segunda-feira, dia 3 de abril, os profissionais de educação, pais e alunos da rede municipal do Rio de Janeiro realizaram um ato na porta da prefeitura para denunciar a violência nas escolas públicas. O protesto também foi uma homenagem à estudante Maria Eduarda Alves da Conceição, morta por bala perdida nas dependências da Escola Municipal jornalista Daniel Piza em Acari.

Durante o ato, uma delegação do Sepe foi recebida pelo secretário de Educação César Benjamin e pela chefe de Gabinete, professora Telma. Também participou da audiência a mãe de um aluno de uma escola da Maré, bairro em que tiroteios vêm ocorrendo quase diariamente.

A direção do Sepe denunciou ao secretario que há anos o sindicato tem denunciado a falta de segurança nas escolas da rede e a violência cotidiana que sofrem os alunos e profissionais, notadamente em áreas conflagradas.

Denunciamos, também, que não existe uma política de Segurança, Investimentos Social e Cultural para áreas extremamente carentes por parte do governo do Estado.

O Sepe também apresentou algumas propostas que vêm sendo feitas pelos profissionais de Educação há vários anos.

1- Que a SME solicite uma Audiência urgente com secretário de Segurança do Estado para que as incursões policiais e similares somente ocorram nos horários que as escolas não estejam em funcionamento;

2- Que as incursões da Policia se deem num perímetro com distância suficiente das escolas para que não haja nenhum risco para a comunidade escolar;

3- Abertura de Concurso Público para professores e para funcionários, com destaque para porteiros que exercem um papel fundamental, pois conhecem e vivenciam a comunidade escolar;

4- Que o Sepe e Comissão de pais possam participar dos Grupos de Trabalho sobre a questão da violência, no qual se encontra a rede municipal, que estão sendo criados nas áreas conflagradas;

5- Que haja maior investimento pedagógico e acompanhamento psicológico para alunos e profissionais de educação nessas áreas.

O secretário informou que vem tomando medidas, visando a questão da violência há aproximadamente dois meses e que também estava bastante chocado com o que ocorreu. Declarou que o prefeito já pediu audiência ao secretário de Segurança, mas no caso de nossa proposta específica ele encaminhará ao prefeito, pois ele não tem autonomia para tal decisão - nesse ponto, insistimos para que a SME tome posição junto ao prefeito.

A seguir, o secretário informou algumas medidas que foram tomadas pela SME, entre elas:

1) UM DIA DE DEBATE E CONSTRUÇÃO DE PROPOSTAS nas escolas sobre a violência cotidiana a que estão sujeitos os profissionais de Educação e toda Comunidade Escolar, o secretário apresentou proposta de realizar no sétimo dia de falecimento da aluna Maria Eduarda, uma consulta aos profissionais de educação sobre possíveis ações da pasta referentes a falta de segurança;

2) Criação de um Fórum Permanente de Segurança;

3) As direções das CREs deverão enviar ofício para cada batalhão de sua região para tratar da questão da segurança.

 


Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do RJ
Endereço: Rua Evaristo da Veiga, 55 - 8º andar - Centro - Rio de Janeiro/RJ
Telefone: (21) 2195-0450